Ao migrar seu site, um bom planejamento de SEO se torna imprescindível.

Eric Apesteguy

Migração e SEO

A migração de site ou redesenho de um site para os profissionais de SEO, é um termo para descrever qualquer evento em que um site passa por mudanças estruturais em áreas que podem afetar significativamente a sua visibilidade nos mecanismos de pesquisa.

 

É bom lembrar que o Google conhece e entende também seu domínio e site desde o primeiro momento em que ele entrou no seu índice, como uma única entidade composta por cada experiência do passado e que vai se atualizando a cada nova interação no presente.

Uma migração com SEO bem executado, de forma geral, faz com que seu tráfego só caia ou estagne por um tempo relativamente curto (dependendo do tamanho do seu site), para em seguida voltar a crescer de forma consistente. O sucesso aqui não depende somente do SEO de forma isolada, mas também da estratégia, do site e de um esforço conjunto e alinhado (tecnologia, marketing, redação, etc.).

O positivo é que com um bom planejamento e execução da migração do novo site, é possível ter pouco ou nenhum efeito negativo nas classificações. Por outro lado, uma migração sem SEO pode ter resultados catastróficos para um site e empresa, com perdas de tráfego e vendas por meses, até anos.

Se seu negócio depende dos motores de buscas para existir e monetizar, é algo imprescindível de evitar.

Tipos de migrações

Existem vários tipos de migração de site, pois várias formas de mudanças podem ocorrer, como por exemplo:

  • Mudanças de localização (domínios, protocolos, partes do site, idiomas, etc.)

  • Mudanças de plataforma (nova, melhorias, novas funcionalidades, integrações, etc.)

  • Mudanças de estrutura (hierarquia, navegação, semântica, malha interna, jornada do usuário, etc.)

  • Mudanças de design (UX design, layout, mídia, desempenho, etc.)

  • Mudanças de conteúdo (adicionar, remover, fundir, traduzir, etc.)

Em cada tipo, o profissional de SEO precisa; por um lado, fazer o inventário de URLs e backlinks de maior valor do site atual, e por outro, criar a nova estrutura de URLs e conteúdo do novo site no intuito de fazer combinar os dois, elaborando um plano de redirecionamentos completo e otimizado.

Ele deve também se envolver em questões de tecnologia, UX, conteúdo e marketing que possam mudar e afetar de alguma forma o impacto da migração nos resultados de pesquisa.

Inventário de URLs

Ao fazer uma migração de site, você precisa saber antes de tudo qual conteúdo será afetado por ela. Por isso se torna imperativo realizar um inventário de URLs, e possuir uma visão completa do conteúdo, links, mídias e posicionamentos do site.

Para tal, usamos várias ferramentas, as do próprio Google como Search Console, Google Analytics, etc., e também de terceiros, como por exemplo Screaming Frog, SEMrush, etc.

Auditoria de URLs

Uma vez pintada a imagem do site, juntando todos os dados de todas as fontes disponíveis, é preciso analisar e agrupar os conteúdos. Separamos os conteúdos de maior valor, cruzando dados de desempenho de tráfego e conversões, classificações, autoridade de tópicos e qualidade de gráfico de link.

Em seguida, espelhamos a estrutura atual e vigente mapeada com a nova estrutura de URLs criada para a ocasião. Agrupando e alinhando cada URL e conteúdo antigo em direção ao seu novo lugar e objetivo.

Auditoria de backlinks

Uma vez escaneada a web, juntando todos os backlinks encontrados, é preciso redirecionar os antigos URLs para a nova estrutura pós-migração. Contudo os URLs presentes nos backlinks precisam ser analisados mais a fundo, pois você também pode aproveitar esse momento para rejeitar aqueles de baixa qualidade durante o processo e para preservar sua autoridade de domínio.

O acesso a índices de backlinks também necessitam a contratação de ferramentas pagas e especializadas nesse assunto, saiba mais sobre análise de backlinks.

Plano de redirecionamento

O plano de redirecionamento descreve quais domínios e URLs precisam ser redirecionados no lançamento do novo site e para onde. Otimizamos e reformulamos um novo plano a partir de todas as informações descritas anteriormente.

Junto com o inventário de URLs, é preciso verificar também o legado de redirecionamentos vigentes e integrá-lo a nova estrutura de URLs e servidor antes de migrar. Redirecionar os antigos URLs para os novos mais relevantes da forma mais precisa possível.

A ideia aqui é limpar, atualizar, complementar e reformular a antiga lista de redirecionamentos com objetivo de otimizar a conformidade do site com o Google. Para isso é preciso:

  • Evitar redirecionamentos de tipo aberto, JavaScript e meta refresh

  • Usar os status HTTP corretos nos lugares apropriados

  • Eliminar cadeias e “loops” infinitos de redirecionamentos

  • Atualizar links antigo para evitar redirecionamentos internos inúteis

  • Atualizar os links de imagens, AMP, campanhas rodando, etc.

  • Atualizar os sitemaps XML

Além de ajudar a manter suas classificações nos mecanismos de pesquisa, esse processo protege também seu site de um efeito negativo de desempenho e experiência de usuário.

Expressões regulares (RegEx)

Para facilitar a criação do novo plano de redirecionamento e sua gestão e manutenção, usamos expressões regulares de maneira objetiva em função dos grupos e padrões identificados previamente.
As chamadas “RegEx” permitem criar regras de redirecionamentos complexas e em escala.

Contudo, dependendo do seu legado e nível de organização, nem tudo será possível desse jeito e vários redirecionamentos simples provavelmente precisarão ser criados um por um.

Testes

Em ambiente de homologação protegido por senha, onde os robôs dos mecanismos de pesquisa não podem acessar, é preciso testar o novo plano de redirecionamento para identificar problemas ou inconsistências relacionadas ao conteúdo entre o site antigo e o novo (por exemplo, entre os tipos de dispositivos).

Assim é possível retificar erros num estágio inicial, antes da migração e lançamento do novo site.

Informar o Google

O Google possui e recomenda o uso de sua ferramenta de mudança de endereço, para ser informado diretamente do novo endereço do seu site. Previamente será necessário de aplicar os redirecionamentos do site antigo para o novo e concluir todas as outras etapas de configuração relevante expostas anteriormente.

Embora em alguns casos específicos (ex: alteração do endereço de http para https), o uso da ferramenta não seja recomendado e exista práticas recomendadas e requisitos, você pode submeter seu site diretamente ao Google. Isso fará que ele acentue o rastreamento e a indexação do novo site em vez do antigo.

Essa ferramenta permite também que ele encaminhe vários sinais do site antigo para o novo, no intuito de educar o Google a priorizar o novo site em vez do antigo ao determinar as páginas canônicas. Essas ações duram 180 dias após o lançamento da mudança.

Limitação da taxa de rastreamento

Durante a migração, em casos emergenciais como dificuldades de disponibilidade do seu site por exemplo, é possível usar uma ferramenta de limitação de taxa de rastreamento disponibilizada pelo Google.

Essa limitação fica válida por 90 dias e permite diminuir a velocidade dos rastreadores do Google quando eles acessam o site em excesso (algo provável durante uma migração, para atualizar e digerir as novidades).

Infográfico

Infográfico Migração de site

Migração de site

Serviços relacionados

Projetos relacionados

Perguntas frequentes

O que é uma migração de site?

A migração de um site consiste em transferir seu site para outro URL ou infraestrutura por motivos de mudança de sistema, hospedagem, nome de domínio, etc.

O que é um redirecionamento?

Um redirecionamento é um link que leva você automaticamente de uma página de destino para outra. Uma página redirecionada é uma página cujo link é um redirecionamento.

Como instalar o https?

Para habilitar o HTTPS, use uma autoridade de certificação para obter um certificado de autenticação do seu site. Instale este certificado em seu servidor da web e configure o SSL/TLS.