Não pense em número de palavras, mas em profundidade do tópico.

Samuel Schmitt

Inventário de conteúdo

Antes de tudo, é importante decidir que tipo de conteúdo você pretende gerenciar. Você pode auditar:

Conteúdo interno:

 

Páginas, postagens de blog, notícias, descrições de produtos, galerias de fotos, podcasts, vídeos, web stories, etc.

Publicações externas:

 

Redes sociais, canais de vídeos, artigos na mídia, e-mail marketing, etc.

Auditamos todo tipo e formato de conteúdo publicado em sites, canais e redes.

Usamos ferramentas e APIs do Google como de terceiros para coletar todos os URLs e dados dos sites, internamente como externamente, atuais como passados, para mapear a estrutura e histórico de todo o conteúdo que a empresa já produziu.

Meta dados e métricas on-page

Coletamos dados de URLs como por exemplo:

  • Título, descrição, cabeçalhos e canonical

  • Categorias, tags e parâmetros

  • Dados estruturados

  • Número de palavras

  • Profundidade de rastreamento

  • Número de links internos apontando

Como também métricas de tráfego orgânico (cliques e sessões, taxa de clique, taxa de rejeição, etc.), métricas de linkagem (número de backlinks, tipo, autoridade, etc.) e métricas de posições e engajamento social.

Arquitetura de conteúdo

A arquitetura de conteúdo refere-se à maneira como todo o seu conteúdo é organizado, estruturado, rotulado e interconectado. Ela vem antes da arquitetura da informação numa abordagem “conteúdo antes do Design”, ou “conteúdo primeiro” (content first).

Uma arquitetura de conteúdo bem projetada é fundamental para SEO como também permite:

  • Facilitar o gerenciamento do conteúdo pelo editores e aumentar a produtividade da redação

  • Fazer sua equipe de conteúdo depender menos dos desenvolvedores

  • Melhorar o gerenciamento, interação e distribuição do conteúdo entre seus sistemas

  • Permitir uma evolução e expansão mais rápida e flexível do seu site ao longo do tempo

  • Aumentar a flexibilidade do seu sistema de gerenciamento de conteúdo e facilitar novas integrações

  • Melhorar o consumo do conteúdo e experiência dos usuários

Criando assim um círculo de desenvolvimento virtuoso do conteúdo.

Uma auditoria de conteúdo é imprescindível para entender como está arquitetado seu conteúdo e o que pode e deve ser melhorado na sua organização.

Taxonomia

A taxonomia se refere ao método usado para classificar o conteúdo. Existem diversos tipos de taxonomias, como a hierárquica, a plana, de rede ou de facetas.

Uma vez estabelecida sua estratégia de conteúdo e planejamento editorial, estudado o campo lexical e tópicos do seu negócio, auditamos e revisamos sua taxonomia para torná-la sob medida. Ela é uma peça fundamental, pois serve de esqueleto para sua arquitetura de conteúdo e, consequentemente, da informação.

Para tal, alinhamos o conteúdo com os vários tipos de funcionalidades do seu sistema, como por exemplo:

  • Categorias (taxonomia hierárquica)

  • Tags (taxonomia plana)

  • Filtros (taxonomia de facetas)

  • Elementos (taxonomia de rede)

  • Pesquisa interna (taxonomia plana)

Para ajudar os mecanismos de pesquisa a entender o conteúdo publicado e assim maximizar seu posicionamento e resultado, desenhamos arquiteturas de conteúdo e usamos taxonomias inspiradas na organização do schema.org, vocabulário compartilhado para estruturar metadados.

Criado pelo Google, Microsoft (Bing), Yahoo! e Yandex, ele é usado no gráfico de conhecimento (Knowledge Graph) do Google e se tornou um padrão mundial para os mecanismos de pesquisa.

Gestão de conteúdo

Uma auditoria de conteúdo é o processo de analisar e avaliar sistematicamente todo o conteúdo do seu site.

Seu objetivo é revelar os pontos fortes e fracos de sua estratégia de conteúdo e auxiliar em como adaptar seu planejamento e calendário editorial às suas metas de marketing em tempo real.

É importante auditar seu conteúdo de forma contínua antes de criar algo novo, porque você precisa saber antes de tudo o que você já tem no seu site, qual é o desempenho desse conteúdo e onde pode haver lacunas em sua oferta de atual de tópicos e palavras-chave para tomar a melhor decisão do que deve ser produzido e como.

Uma vez as prioridades em mente, é possível organizar cada conteúdo e gerenciar o todo de forma mais segmentada e eficiente. Podemos por exemplo:

  • Produzir um conteúdo novo de forma assertiva

  • Evitar de mexer no conteúdo que performa bem

  • Mesclar antigos conteúdos para criar outros novos

  • Reutilizar um conteúdo usando um formato diferente

  • Reescrever e otimizar um conteúdo de baixo desempenho

  • Remover ou redirecionar um conteúdo para algo parecido

Canibalização de palavras-chave

A canibalização de palavras-chave e conteúdo pode acontecer quando você tem várias páginas (artigos, postagens de blog, produtos, etc.) em seu site que competem entre si para consultas de pesquisa semelhantes. Seja porque o tópico abordado é muito parecido ou porque você os otimizou para a mesma palavra ou expressão-chave.

É importante gerenciar seu conteúdo de tal forma que isso não aconteça. Pois se você canibalizar suas próprias palavras-chave, estará competindo consigo mesmo pela classificação nos mecanismos de pesquisa. Para evitar esse tipo de problema, sua produção de conteúdo precisa sempre ser acompanhada de uma gestão e visão do todo (holística).

Uma auditoria de conteúdo contínua permite um melhor acompanhamento do seu conteúdo, como impede a canibalização e diluição do seu resultado orgânico.

Limpeza de conteúdo

Limpamos o conteúdo duplicado como também analisamos e gerenciamos o conteúdo sindicado, seja seu ou de parceiros. Detectamos e apagamos conteúdos de muito pouco valor no intuito de priorizar o rastreamento do seu conteúdo original e de qualidade pelos robôs dos motores de buscas e assim valorizar o que importa.

Conteúdo superficial ou fino

O “conteúdo fino” ou conteúdo superficial em português, é um conteúdo que fornece pouco ou nenhum valor ao usuário.

O Google fala em “páginas com muitas palavras e pouco ou nenhum conteúdo autêntico”.

O conteúdo superficial pode se manifestar sob diversas formas, como por exemplo:

  • Conteúdo copiado (ou duplicado, agregado, sindicado, etc.) que não force qualquer tipo de organização ou benefício ao usuário;
  • Conteúdo gerado automaticamente (criado de forma programática) que acaba criando um texto sem sentido, uma tradução incompreensível ou combinações de conteúdo de diversos outros sites sem adição significativa de valor;
  • Conteúdos de programas de afiliados com descrições, avaliações e resenhas de produtos replicadas;
  • Doorway Pages, páginas de entrada inúteis (pelo pouco conteúdo, granularização extrema, que só servem para navegar, etc.).

Conteúdo duplicado

O conteúdo duplicado é basicamente o fato de ter conteúdo idêntico ou muito semelhante em um ou mais URLs. Seja no mesmo site ou em dois sites diferentes.

O Google qualifica isso como “blocos substanciais de conteúdo dentro de um ou mais domínios que correspondem totalmente a outro conteúdo ou são muito similares”.

Ter muito conteúdo duplicado ou quase duplicado no seu site pode prejudicar suas classificações. Seu site pode acabar sendo considerado de baixa qualidade ou pior, no caso de site que abusam de raspagem sem deixar claro qual é a fonte de origem por exemplo, ser visto como enganoso e penalizado.

Conteúdo sindicado

O “conteúdo sindicado” ou conteúdo distribuído em português, é o processo de republicar simultaneamente o mesmo conteúdo – um artigo, um vídeo, um infográfico, etc. – em um ou mais sites diferentes. O conteúdo sindicado é um conteúdo duplicado de outra fonte, como por exemplo de um fornecedor (comércio eletrônico) ou de uma agência de notícias (portal de notícias).

Dentro de um mix de marketing de conteúdo, o conteúdo sindicado precisa ser auditado, controlado e deixado em níveis inferiores ao conteúdo original do site para que o site não acabe sendo percebido como uma “fazenda de conteúdo” pelo motores de buscas e assim perder relevância e visibilidade.

SPAM

O SPAM, tradicionalmente, é considerado o uso de sistemas para enviar várias mensagens não solicitadas a um grande número de destinatários, repetidamente.

Em relação ao conteúdo dentro de um site, o SPAM pode existir sob várias formas, usando vários truques como texto e links ocultos, excesso de palavras-chave, comentários em blogs e fóruns, técnicas de cloaking (apresentar um conteúdo para o usuário e outro para o robô) ou redirecionamentos não autorizados.

Para um bom desempenho de SEO, é importante limpar um site de qualquer tipo de conteúdo podendo ser considerado SPAM.

Infográfico

Infográfico Auditoria de conteúdo SEO

Auditoria de conteúdo SEO

Serviços relacionados

Projetos relacionados

Perguntas frequentes

O que é gestão de conteúdo?

É a metodologia e ferramentas que permitem gerenciar a organização de todo o ciclo de vida da informação não estruturada de conteúdos e sites (coleta, organização, uso, publicação, descarte e arquivamento).

O que é um sistema de gestão de conteúdo?

Um sistema de gestão de conteúdo, do inglês CMS (Content Management System), é um software que permite a concepção, organização e atualização dinâmica de conteúdos e sites web.

O que é curadoria de conteúdo?

É a atividade de selecionar, ordenar, editar e participar (comentar, enriquecer) de um conteúdo web e apresentá-lo ou divulgá-lo de forma organizada.